Um blog sobre Itália by Ana Borralho

La Bella Italia

Veneza – Arrivederci

Posted by ana on 31 de Março de 2012 in Viagens with No Comments


Se as estradas de Veneza são os seus canais, então o Grande Canal é a sua auto-estrada. O Grande Canal, que os italianos chamam de Canal Grande e os locais chamam de Canalasso, é a maior via de trafico da cidade. É conhecido por ter a forma de S invertido, mas como eu sou mais dada a números, digo que tem forma do número dois,  desenhado por uma criança que ainda não sabe escrever :P . O transito fluvial neste canal é tão caótico como o transito automóvel nas restantes cidades italianas, há que manter a tradição do traffico italiano :D .

Veneza e o seu Grande Canal

Vista aérea de Veneza

O canal tem 3800m de comprimento e a largura varia entre os 30 e os 90 metros. Apenas quatro pontes atravessam este canal, são elas a Ponte da Constituição, a Ponte dos Descalços, a Ponte do Rialto e a Ponte da Academia.

Ponte do Rialto - Veneza

Ponte do Rialto

A ponte do Rialto é a mais antiga e foi a única ponte a atravessar o canal até ao século 19. Para mim e provavelmente para a maioria dos visitantes é a mais bonita das quatro. Em ambas as margens da ponte existe um número elevado de lojas onde se pode comprar um pouco de tudo ;) .

Mãe, Gui e Pinóquio

A Mãe, o Gui e o Pinóquio

O Gui adorou a loja com coisas feitas em madeira principalmente do Pinóquio :) .

Ponte dell'Accademia

Ponte da Academia

A segunda ponte a ser construída sobre o canal foi a ponte da Academia, inicialmente era totalmente construida em madeira, mas depois de algumas intervenções foram adicionados alguns elementos metálicos.

A ponte dos Descalços é também conhecida pela ponte da estação ou ponte da ferrovia, pois fica localizada perto da estação ferroviária de Santa Lúcia. A que podemos ver hoje é construída em pedra e veio substituir uma outra feita em ferro.

A ponte mais recente, a ponte da Constituição já falei dela no primeiro post: nova, bonita e pouco prática :P .

Entre Ruas e Canais

Veneza é a praça de São Marcos… e o resto é paisagem, e que paisagem!! :) Por isso não conhecemos verdadeiramente a cidade se não nos perdermos nas suas ruas e nos seus canais sem destino traçado…só passear, apreciar e namorar.

Vi quase tudo o que queria ver, fiz quase tudo o que queria fazer…tudo o que era possível apenas em dois dias. O temor amor de mãe impediu-me de andar de gôndola e o tempo impediu-me de visitar a ilha de Murano, famosa pelas obras de vidro trabalhado :) .

Eu e o meu marido temos uma regra: não regressar aos locais que já visitámos sem termos visto o resto do mundo antes ;-) por isso por norma não visitamos uma cidade duas vezes … pode ser que Veneza seja uma exceção.

 

Arrivederci Venezia …

Vista da Ponte do Rialto - Grande Canal de Veneza

Vista da Ponte do Rialto - Grande Canal de Veneza

Veneza III – Praça de São Marcos

Posted by ana on 19 de Março de 2012 in Viagens with No Comments


Diz uma lenda  que os casais que trocarem um beijo no momento exato em que passarem sob a Ponte dos Suspiros serão eternamente apaixonados. É uma lenda romântica, mas na verdade o nome desta ponte vem de uma outra história :) . Esta ponte liga o Palazzo Ducale à antiga prisão da cidade e o nome surgiu graças aos prisioneiros que eram levados do Palácio para a prisão e ao passar por esta ponte eles olhavam pela janela e suspiravam de tristeza ao ver a liberdade pela última vez.

Quem visitar Veneza, não deve deixar de visitar o Palácio Ducal também conhecido por Palácio do Doge, além de bonitas estátuas e famosas pinturas tem alguns tetos extraordinários.

Mesmo ao lado do Palazzo Ducale encontramos a Basilica di San Marco. Já tive a oportunidade de visitar muitas igrejas, mas esta ainda me conseguiu surpreender :) . É rica e linda tanto por fora como por dentro. Algo curioso é a existência de quatro cavalos, na varando da basílica, estes são réplicas, pois os originais encontram-se no museu dentro da basílica, os originais foram foram saqueados por Napoleão em 1797 e estiveram no Arco do Triunfo do Corrosel em Paris, foram devolvidos à cidade de Veneza em 1815.

Na praça de São Marcos podemos também ver a Torre dell’Orologio, um edifício renascentista, construído entre 1496 e 1499, devo confessar que não lhe dei muita atenção e depois da pesquisa para escrever este post estou um pouco arrependida :(

O arco da torre dá acesso à principal rua da cidade de Veneza, conhecida como a Merceria.
A parte central do relógio é de ouro e esmalte azul, este relógio não nos mostra apenas as horas, mas também o dia, fazes da lua e do zodíaco ;) No topo da torre estão duas figuras em bronze,  um velho e um jovem que representam a passagem do tempo. Duas vezes por ano, a 6 de janeiro e no dia da Ascensão, quatro estátuas de madeira, os 3 reis magos e um anjo, saem por uma das portas laterais e percorrem uma plataforma semicircular sobre o relógio fazendo uma vénia à Virgem Maria antes de desaparecerem pela porta do lado oposto.

 

Torre dell'Orologio

Campanile di San Marco

Para finalizar a visita à Praça de São Marcos, subir ao Campanile di San Marco é indispensável pois do cimo do seus quase 100m de altura dá-nos uma vista magnifica de grande parte de Veneza.

Pensei que este seria o terceiro e ultimo post sobre Veneza, mas ainda falta pelo menos mais um :D .

 

Veneza – Acqua alta

Posted by ana on 8 de Março de 2012 in Viagens with No Comments


Veneza

Esta nossa viagem resumia-se a um fim de semana, por isso no Sábado de manhã apanhámos o vapporeto em direção à Piazza de San Marco onde iríamos visitar Basilica di San Marco e o Palazzo Ducale. Esta primeira viagem foi entusiasmante, pois percorremos praticante todo o grande canal e deu para perceber logo que iríamos amar esta cidade :) . O Bruno de maquina fotográfica e eu de maquina de filmar. Filmei todo o percurso com grandes planos das pontes por onde passávamos e dos gondoleiros… pena a maquina estar na pausa e eu não ter dado por nada :P . Veneza

A Piazza de San Marco é o coração da cidade, é daqui que nos chegam as imagens da Veneza inundada, com turistas sentados nas esplanadas com a água pelos tornozelos :) . Quando chegámos à praça estranhei umas passadeiras de madeira com uns 20 cm de altura, estava tudo seco, ainda não estávamos na época das chuvas, para que seria aquilo? Veneza alagada na Piazza San Marco Sem demoras entrámos na Basilica di San Marco, o museu era num plano superior, acessível por umas escadas estreitas e íngremes, depois de visitarmos o piano terra em conjunto, visitámos o museu à vez, pois alguém tinha de ficar de olho no Gui dentro do seu passeggino (cadeira de bebé). Eu fiz a visita primeiro, depois enquanto esperava que o Bruno regressasse da visita ao museu, algo estranho começou a acontecer :) … Surpresa!! A praça estava a começar a inundar. Apesar de não ser Inverno a praça estava aos poucos cheia de àgua. Agora sei que este fenómeno impulsionado pelas ventos e marés geralmente acontece no outono e na primavera e chama-se acqua alta (água alta), onde a cidade é alagada pelas águas dos canais e que naquele dia borbulhavam do chão e faziam a Piazza San Marco se transformar gradualmente numa incrível piscina. Uma cena para eu jamais esquecer. Agora aquelas passadeiras de madeira pareciam muito estreitas para tantos turistas :D

Veneza – Que tinha pontes eu sabia :)

Posted by ana on 3 de Março de 2012 in Viagens with 1 Comment


De Veneza já tinha lido quem achasse que cheirava mal, que tem mosquitos e demasiados pombos, que é suja, com os edifícios degradados, que está  apinhada de turistas. Por outro lado há quem a ache a cidade mais romântica e mais bela do mundo – a expectativa era grande tal como a incerteza do que iria efetivamente encontrar.

Eu visitei Veneza em Outubro de 2010, não foi numa época quente e sendo assim não haviam mosquitos, não cheirava mal e o número de turistas era suportável ;) . Quanto a estar suja e os edifícios estarem degradados, não dei por nada, mas quem me conhece sabe que sou distraída :D .

VenezaNão tenho qualquer duvida em afirmar que é uma cidade única, totalmente diferente de qualquer outra. Tem um encanto especial com todos aqueles canais, todas aquelas pontes…pois pontes, já volto a este tema :P . Veneza não se resume à praça de São Marcos é uma cidade repleta de ruelas que formam verdadeiros labirintos que terminam quase sempre num canal onde flutuam as gôndolas ou outros barcos. Este romantismo é melhor aproveitado numa viagem feita a dois… com alguém especial  <3.

A minha viagem foi feita a três, eu, o meu amor e a nossa miniatura ;) . Nessa altura o pequeno era bem pequenino (1 ano e pouquíssimos meses) o que implicava andar com carrinho e quase com uma casa às costas :P

Tínhamos decidido andar de gôndola, sim sei que é um luxo devido ao preço (60/75€ por meia hora), mas ir a Veneza e não andar de gôndola é o mesmo que ir a Roma e não ver o Papa…ops já lá fui tantas vezes e não vi o senhor, que falha a minha :P ! Mas comecei a imaginar o Guilherme a atirar-se borda fora e como a probabilidade de isso acontecer era grande (ele é um bebé mexido e nem sempre age de forma lógica), acabámos então por desistir do passeio de gôndola, mas ficou a promessa de um dia voltarmos à cidade do amor, só os dois, para andaremos de gôndola e  teremos o gondoleiro a cantar para nós.

Desta vez o passeio foi feito a pé e de vaporetto…o “autocarro” da cidade que permite um passeio aquático rápido para todas as atrações da cidade.

A nossa chegada a Veneza foi um pouco mais atribulada do que estaríamos à espera. Apanhámos um autocarro (este com rodas :-) ) no aeroporto, que nos levou até à “entrada” da cidade (Piazzale Roma) – é a maneira mais rápida e barata de chegar do aeroporto.Mapa de Veneza

Os alojamentos mais baratos e/ou menos preenchidos são no “continente” (Mestre) ou no Lido de Veneza, como o nosso passeio era só o fim-de-semana decidimos poupar no tempo perdido e não no dinheiro e assim ficamos mesmo em Veneza-Veneza.

Já era de noite quando chegámos e a missão era encontrar o hotel onde pernoitaríamos nas próximas noites. Com mapa na mão lá fomos nós. Esbarrámos automaticamente num canal, dirigimo-nos à primeira ponte que encontrámos pois o nosso hotel era na outra margem….surpresa…a ponte tinha escadas, pois nunca tinha pensado nesta possibilidade. Carregados com malas e de carrinho de bebé parecia impossível atravessa-la. Olhámos em redor e vimos uma ponte bem maior um pouco mais atrás, lá fomos nós convictos que esta grande ponte não teria escadas ;) … mas tinha!! Posteriormente soubemos que esta ponte chamada de “Ponte da Constituição” mas também conhecida pela “quarta ponte do grande canal” foi inaugurada em 2008 sob grandes protestos entre os quais por não ter acessibilidade para pessoas de cadeiras de rodas.

Resumindo, sejam grandes ou pequenas todas as pontes em Veneza têm escadas.

Parece que nada correu bem neste de fim de semana, mas não é verdade, as viagens são feitas de contratempos mas também de surpresas e encantos.

O post sobre Veneza estava a ficar gigante (e ainda nem comecei nas atrações de Veneza …) por isso decidi dividi-lo em vários. Este serviu de introdução, os próximos já estão quase aí.